quarta-feira, 6 de maio de 2009

Silenciem-se as almas deste e de outro mundo! (sheeeeeeeeeeeeee)

Silencie-se sobretudo a tua!

Quem és tu ser de amabilidade extrema?

Quem és?!

É urgente saber!


Porque me prendo a ti?!

ÉS SER MARAVILHOSO e sempre predisposto amar sem fronteiras!


Quem és tu?!

Luz, Ar, Água?

Porque pareces tão irreal?

Porque pareces "demais", a "mais"?

Porque pareces correspondência entregue em mãos alheias?

A minha alma tem perdido o ar e respirado o teu ser!

Apaixonadamente tornei-me num botão de rosa pronto para desabrochar nos teus braços e morrer com tuas mãos.

Não sei a tua origem, a tua evolução, árvore genealógica mas, já me perdi vezes sem conta em cada veia que pulsa em corpo e alma que, desconhecidamente, me preenche de forma absoluta e rara.

Quem és?

Porque brincas em meu ser?

És abuso de alma, pecado carnal exagerado. Levas-me ao "expoente da loucura" tornas-me GENTE em todas as línguas, SER VIVO em todos os 5 sentidos... excitados por tal potência... OBSERVO-TE como o mundo acabasse ontem não perco nenhum movimento, TOCO-TE como se meu corpo tocasse e excitada fico, ABSORVO O AROMA pelo odor absoluto do teu ser envolto no beijo que nos preenche eleva pela troca perfeitamente imperfeita das salivas que, num ápice de loucura nos leva à prática do amor sem fronteira ou limite... Mas, OUÇO-TE sem confusão ou hesitação no: respirar da noite, acordar da manhã e, sobretudo, na lembrança de cada momento sem ti.

Chego à conclusão de que "QUEM ÉS?!" não importa. Importa sim que nunca partas mesmo que em mim ou para mim, não permaneças.

AMO-TE desde que os meus olhos penetraram nos teus pela primeira vez, sem máscaras, passado ou futuro... QUERO-TE E EXIJO-TE A MIM MESMA no presente de cada dia e no resto da minha vida.

2 comentários:

Eu sei que vou te amar disse...

Silenciar as palavras e deixar o coracao falar! Tal o teu post que nos transporta para a beleza de quem sabe amar!
Beijo doce

Intermitências de Ecos disse...

Maravilhoso! :)

"Porque pareces tão irreal?

Porque pareces "demais", a "mais"?

Porque pareces correspondência entregue em mãos alheias?"

[...]

"Não sei a tua origem, a tua evolução, árvore genealógica mas, já me perdi vezes sem conta em cada veia que pulsa em corpo e alma que, desconhecidamente, me preenche de forma absoluta e rara."

Podia fazer desses excertos a minha pequena história... :)

Beijos mil :) **