sábado, 12 de setembro de 2009

Fantástico com na tristeza tanto aqui escrevi.
Hoje a sentir-me repletamente feliz, confirmo que não existem palavras para descrever os meus sentimentos.
O sorriso anda por todo o lado e a cor, até na mais simples foto black&White, aparece. Pois é, ando assim "tontinha".
Mas sinto falta das minhas "MOSK", para quem não sabe são três desconhecidas que quando a "depressão" aperta perseguem os textos umas das outras, para ver quem está pior (LOLOL)!
sabem como é o amor apareceu e ninguém se larga.
Não escrevo mas sempre que posso vigio-vos (LOLOL).
Já agora, AMO TE GONÇALO!
kisses

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Já! Já fui rascunho de uma alma penada,
solto num vento sem direcção.
Fui alma sem corpo e, corpo sem alma.
perdido na escuridão...
Todavia, nao sei em que rua ou caminho te encontrei
Mas, com toda a certeza, não me afasto desta estrada.
Ergo em mim a vontade de um dia ser eu mesmo,
fechar as cortinas do passado e abrir a janela do futuro
para, simplesmente, ser feliz de verdade.

é no amor que encontro
é no amor que vivo
é no amor que sei o que é não estar morto...

Como?! E porquê?

Como te fixar a mim?!
Como gerir a tua ausência nos momentos mais elementares, básicos diria até, desnecessários da vida.

Como e porquê?

Porquê esperar o momento certo de casar? O momento certo para te amar sem barreiras? Já sei o que quero? Quero elevar-me a ser maior! Executar a tarefa mais dificil do mundo que é amar sem limites, olhar-te nos erros, nas faltas e elaborar o poder do perdão.

Como evitar procurar-te segundos após nossas costas se voltarem, se o meu corpo, mente, espirito, alma te quer. Como evitar o impulso animal? Dizes tu "afinal temos a vida toda pela frente"... digo "sabe lá que destino tenho será curto, longo?! Quero o agora com medo de não ter o futuro!".

Fecho os olhos e vejo-nos... não a ti, não a mim... a nós!

Como evito? Porquê evitar?

Pede e digo SIM... digo que caso, que voo, que corro, que amo, que rolo, rebolo, desde que contigo.


AMO TE sem certeza do amanhã mas, com certeza do presente das palavras escritas já no passado tempo que insiste em não parar. Sendo que no hoje que já foi ontem ainda te quero mais.

Como evitar? Porquê evitar? Se hoje, mesmo hoje já quero.

domingo, 10 de maio de 2009

PECADO MORTAL

Teus lábios são tão carnais, que me reduzem a cada dia, e cada vez mais, ao mais fraco comum dos mortais.
Fossem apenas os lábios a que minha alma cedesse e safa estaria.
Mas quando as tuas mãos se prendem no meu corpo e o teu sussurro me prende a audição, pela suave brisa emitida junto ao meu ouvido, perco as forças e deixo-me simplesmente ir.
É teu ego que me fascina e teu corpo transforma-se num simples canal. Adoro quando falas, sorris pra mim, quando me dás aprovação no olhar, ou simplesmente contrais os cantos do teu sorriso como quem diz: "tonta"... mas, é o teu carinho que me deixa de rastos.
Fico rendida ao encontrar-te, com a certeza que perder-te será morrer mas, que ter-te na vida será a minha maior perdição... por amar infinitamente todo o teu ser.
Deixa-me amar-te um pouco mais... só até ao fim da minha vida?!
P.S. Deixas?

RETRATO

"Um silêncio, um olhar, uma palavra:
Nasceste assim na minha vida,
Inesperada flor de aroma denso,
Tão casual e breve…

Já te visionara no meu sonho,
Imagem de segredo esparsa ao vento
Da noite rubra, delicada, intacta.
E pressentira teu hálito na sombra
Que minhas mãos desenham, inquietas.

Existias em mim… O teu olhar
Onde cintila, pura, a madrugada,
Guardara-o no meu peito, ó invisível,
Flutuante apelo das raízes
Que teimam em prender-te, MINHA VIDA!"

Luís Amaro (Aljustrel, 1823)Poeta e bibliógrafo

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Silenciem-se as almas deste e de outro mundo! (sheeeeeeeeeeeeee)

Silencie-se sobretudo a tua!

Quem és tu ser de amabilidade extrema?

Quem és?!

É urgente saber!


Porque me prendo a ti?!

ÉS SER MARAVILHOSO e sempre predisposto amar sem fronteiras!


Quem és tu?!

Luz, Ar, Água?

Porque pareces tão irreal?

Porque pareces "demais", a "mais"?

Porque pareces correspondência entregue em mãos alheias?

A minha alma tem perdido o ar e respirado o teu ser!

Apaixonadamente tornei-me num botão de rosa pronto para desabrochar nos teus braços e morrer com tuas mãos.

Não sei a tua origem, a tua evolução, árvore genealógica mas, já me perdi vezes sem conta em cada veia que pulsa em corpo e alma que, desconhecidamente, me preenche de forma absoluta e rara.

Quem és?

Porque brincas em meu ser?

És abuso de alma, pecado carnal exagerado. Levas-me ao "expoente da loucura" tornas-me GENTE em todas as línguas, SER VIVO em todos os 5 sentidos... excitados por tal potência... OBSERVO-TE como o mundo acabasse ontem não perco nenhum movimento, TOCO-TE como se meu corpo tocasse e excitada fico, ABSORVO O AROMA pelo odor absoluto do teu ser envolto no beijo que nos preenche eleva pela troca perfeitamente imperfeita das salivas que, num ápice de loucura nos leva à prática do amor sem fronteira ou limite... Mas, OUÇO-TE sem confusão ou hesitação no: respirar da noite, acordar da manhã e, sobretudo, na lembrança de cada momento sem ti.

Chego à conclusão de que "QUEM ÉS?!" não importa. Importa sim que nunca partas mesmo que em mim ou para mim, não permaneças.

AMO-TE desde que os meus olhos penetraram nos teus pela primeira vez, sem máscaras, passado ou futuro... QUERO-TE E EXIJO-TE A MIM MESMA no presente de cada dia e no resto da minha vida.