quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Loucamente

Na maioria das vezes até podes estar certo mas, acho-te errado. Até podes estar giro, mas acho-te feio. E se abres a boca dentro do meu espaço instala-se a guerra e solto o meu grito: És impossível! Um ser aberrante! Julgas-te Macho e és prepotente. E, se então tentas argumentar logo intervenho, corto a conversa e ponho-te o freio. Mas se entras dentro do meu espaço instala-se de novo a guerra e das-me volta à cabeça. Grito de novo como és impossivel, um ser prepotente... ser impotente e prepotente na fala, no riso, no tempo... como és... um ser vazio... vazio de amor... vazio de gente... sim... ser vazio de amor e de gente... que me trespassa e me faz amar LOUCAMENTE.

1 comentário:

Secreta Mente disse...

Não posso deixar de salientar o facto de me identificar tanto com as tuas letras... Sejam elas uma realidade escrita ou apenas fome por ela... Seja como for, nelas, vejo a minha realidade, o meu mundo... a minha história!

Gosto... Continua!

:) **